Você sabe qual o seu índice de inflação?

Será que o seu índice de inflação pessoal está acima ou abaixo da média?

A inflação tem sido um dos assuntos preferidos dos brasileiros, seja para comentar as notícias dos jornais, seja para culpar a falta de dinheiro na conta bancária no fim do mês.

O que muitos não consideram, entretanto, é que os números divulgados mensalmente não incidem da mesma forma no orçamento de todas as pessoas.

O que é inflação?

Antes de mais nada, vale revisar o que significa de fato este termo sobre o qual tanto falamos. Inflação é um índice que mede a variação dos preços de determinados produtos e serviços em um período específico.

O que muita gente não sabe, entretanto, é que existem vários tipos de inflação acompanhados pelo mercado. Conheça alguns deles:

Antes de mais nada, vale revisar o que significa de fato este termo sobre o qual tanto falamos. Inflação é um índice que mede a variação dos preços de determinados produtos e serviços em um período específico. O que muita gente não sabe, entretanto, é que existem vários tipos de inflação acompanhados pelo mercado. Conheça alguns deles:

  • INPC: Índice Nacional de Preços ao Consumidor
  • IPCA: Índice de Preços ao Consumidor Amplo
  • IPC-S: Índice de Preços ao Consumidor Semanal
  • IGP-M: Índice Geral dos Preços do Mercado (também conhecido como “inflação do aluguel”)

Todos os índices são um indicador de inflação, o que muda são questões como itens analisados, períodos, amostra geográfica, etc.

No Brasil, o índice oficial para falar sobre inflação (e o que mais vemos nos noticiários) é o IPCA, medido mensalmente pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. O IBGE levanta todos os meses os preços de mais de 400 itens, nas principais regiões metropolitanas do País.

Entendendo o IPCA

O IPCA verifica a variação de preços de nove grupos de produtos e serviços do cotidiano dos brasileiros, dividindo-os em: alimentação e bebidas; artigos de residência; comunicação; despesas pessoais; educação; habitação; saúde e cuidados pessoais; transportes e vestuário.

Quando acompanhamos as notícias sobre inflação, a cada mês descobrimos um novo vilão para seu aumento. Até agora, em 2016, os principais foram  feijão, leite, café, combustíveis e passagens aéreas. No acumulado de 12 meses, em julho de 2016 o IPCA atingiu 7,34%, recuando em relação aos períodos anteriores, quando chegou ao pico de 10,7% (janeiro). Neste momento, a previsão dos analistas de mercado é que 2016 termine com 7,21% de inflação, conforme dados divulgados pelo Boletim Focus.

Controle de seu índice de inflação na ponta do lápis!

Olhando para os números, as perspectivas parecem boas em relação ao que temos acompanhado nos últimos meses, mas não necessariamente significa que os custos do que você consome seguirão exatamente essas médias. Para saber exatamente o impacto da inflação em seu orçamento, será necessário criar o seu próprio índice. Veja como com as nossas dicas:

Registre seus gastos

Para começar, você terá que manter um comportamento básico para quem quer organizar vida financeira: registrar seus gastos. Aqui devem ser considerados todos os custos que tem em seu dia a dia. Use a nossa planilha ou utilize alguma disponível na internet para fazer as anotações.

Detalhe os preços

Depois de alguns meses acompanhando suas finanças, você será capaz de perceber quais são os itens de consumo mais frequente, excluindo gastos pontuais. Para esses produtos e serviços, comece a anotar o preço médio que pagou em cada mês.

Crie categorias

Assim como IBGE faz com o IPCA, você deverá dividir seus gastos em categorias principais, de acordo com o seu estilo de vida. Por exemplo, se não está investindo nada em educação, não faz sentido essa categoria estar em sua lista.

Mantenha a disciplina

Por fim, para chegar a análises reais sobre o impacto da inflação em seu orçamento, você precisará de disciplina para registrar as informações e analisá-las. Pode parecer trabalhoso, mas sabendo utilizar bem ferramentas como o Excel – ou conhecendo alguém que possa ajudá-lo, o tempo investido se tornará menor a cada mês, enquanto você terá melhor entendimento sobre como suas finanças estão se comportando.

Impacto da inflação em sua organização financeira

Neste artigo, ensinamos como você pode calcular seu índice de inflação pessoal e, assim, saber o real impacto da alta dos preços em seu orçamento. Quem deseja organizar a vida financeira, evitando dívidas e fazendo investimentos mais rentáveis, precisa dedicar seu tempo a este tipo de análise.

Sabendo a inflação real que incide sobre as suas finanças, você pode identificar onde reduzir ou realocar custos, escolher a aplicação ideal para investir e entender melhor como devem evoluir seus ganhos ao longo do tempo. Busque educação financeira e comece uma relação mais saudável com seu dinheiro!

Quer aprender como administrar seu dinheiro para ele render mais? Conheça as formações em educação financeira oferecidas pela Bari Promotora!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *