O que é o crédito com garantia de imóvel?

Muitas instituições financeiras estão começando a oferecer crédito com garantia de imóvel para você realizar os seus sonhos. Mas você sabe o que é isso?

Com as opções de crédito com garantia de imóvel da Bari Promotora você pode conseguir até R$ 4 milhões.

O crédito com garantia de imóvel é uma forma de empréstimo onde você coloca um imóvel próprio como garantia para conseguir um empréstimo. Na Bari Promotora dependendo do tipo de solução financeira você pode utilizar até 50% do valor do imóvel para obter o recurso financeiro desejado e os valores podem chegar a R$ 4 milhões, claro que tudo vai depender do valor do imóvel colocado como garantia.

Os empréstimos podem ser feitos para pessoa física ou pessoa jurídica, onde a renda pode ser composta por até 4 proponentes.

De uma forma simples, o crédito com garantia de imóvel é uma modalidade de empréstimo onde você coloca um bem (residencial ou comercial) como garantia, por isso as instituições conseguem taxas mais baixas do que empréstimo pessoal, cartão de crédito, cheque especial, entre outros.

Alguns dos benefícios do crédito com garantia de imóvel são:

. Uso livre do recurso. Apenas no caso de tomada de crédito para aquisição que o valor deve ser utilizado para o propósito;

. Facilidade de começar a paga em até 6 meses;

. Prazo de pagamento de até 15 anos; crédito para aquisição tem prazo de até 20 anos;

. Taxas de juros a partir de 1,09% a.m. + IPCA. Para aquisição essa taxa é reduzida para 0,79% a.m. + IPCA;

. Até 50% do valor do imóvel para empréstimo em geral e até 70% do valor pra aquisição;

. Opção de colocar os custos na operação;

. Composição de renda pode ser feita por até 4 proponentes entre pessoa física e pessoa jurídica.

Ainda ficaram algumas dúvidas?

Acesse nosso post em http://baripromotora.com.br/7-mitos-e-verdades-do-emprestimo-com-imovel-de-garantia/ para saber mais.

Onde um correspondente bancário pode trabalhar?

Para saber onde você vai trabalhar, quando estiver seguindo a carreira de correspondente bancário, é importante saber outros pontos antes como:

  • Qual estrutura de atendimento será adotada?
  • Qual é a identidade do seu público?
  • Qual é a sua meta de faturamento inicial?
  • Você vai trabalhar sozinho?
  • Qual é o seu orçamento?

À medida que você responder essas perguntas, poderá escolher qual o melhor local onde trabalhar.

Claro que o primeiro lugar onde você vai pensar, é que precisa estar em um grande centro financeiro, pois ainda são os lugares onde as pessoas mais procuram opções de crédito.

Mas e se dissermos que existem outras opções, inclusive trabalhar home-office?

Então, vamos lá.

1. Nossa primeira dica é: Se você está começando essa experiência, quase nada de verba e um bom planejamento de expansão – Home Office é para você.

Mas atenção, justamente por estar em casa precisa ter muita disciplina, a definição de um horário comercial, as pessoas que moram no mesmo espaço precisam entender que apesar de estar em casa, você está trabalhando.

Monte um pequeno escritório, para poder receber seus clientes. Eles precisam ter segurança na pessoa que eles estão contratando um serviço financeiro, afinal algumas operações podem envolver alguns milhões.

2. Nossa segunda dica é: faça um contrato com um coworking.

Por que um contrato? Assim você poderá apresentar um endereço de trabalho quando for solicitado por algum cliente. Você terá um espaço fixo ou rotativo podendo ser uma estação de trabalho ou uma sala privativa.

Você terá que pagar um aluguel pelo espaço, mas não por água, internet, recepcionista, por exemplo. Isso acabaria ficando mais em conta para você que está começando a sua carteira de clientes.

3. E a nossa terceira dica é: alugar um espaço comercial.

Se você tem um bom plano de negócios, um bom orçamento e a perspectiva de aumentar a sua equipe você deve pensar em um espaço que comporte todas as suas ideias em um período de 6 meses a 1 ano que são normalmente o tempo de um contrato de aluguel.

Então, qual vai ser o seu endereço para colocarmos no contrato com a Novi?

Conheça as vantagens em ser parceiro da Novi clicando aqui.

Ah! Não esqueça de seguir a Novi Soluções Financeiras no Facebook, Instagram e Twitter para ficar por dentro de todas as novidades!

Alan Gomes

Gerente Comercial da Novi Soluções Financeiras. Possui mais de 10 anos de atuação na área de vendas em grandes players do mercado e a experiência de quem atendeu milhares de clientes no segmento financeiro.

O que vale mais a pena: comprar ou reformar?

Na dúvida entre dar uma entrada em um apartamento novo ou reformar?

Colocamos algumas dicas para te ajudar a entender o que vale mais a pena: comprar ou reformar.

Ter uma casa arrumadinha com o nosso jeito e a nossa cara, para curtir com a família ou com os amigos é algo que não preço.

Quando compramos um imóvel, ele atende as necessidades do nosso momento e um futuro planejado às vezes em curto prazo. Mas o que vale mais a pena: comprar ou reformar?

Antes de qualquer coisa, você precisa responder a algumas perguntas que podem lhe ajudar a resolver o que vale mais a pena: comprar ou reformar:

  1. Seu imóvel atente a necessidade da sua família e algumas reformas básicas podem melhorar o ambiente para vocês?
  2. A localização do imóvel é boa?
  3. O imóvel fica perto do seu trabalho ou da escola das crianças?
  4. Tem estacionamento?

Por que comprar um imóvel?

Ao optar pela compra de um imóvel novo, não há a necessidade de realizar um projeto de construção ou reforma. Se for um imóvel na planta você pode optar em fazer uma personalização de acordo com o seu gosto o que evitaria uma reforma futura.

Isso também diminui alguns custos extras, já que há chances menores de sofrer com imprevistos ou retrabalhos são baixos e algum problema na estrutura fica por conta da construtora.

Por que optar pela reforma?

Com a reforma, você pode deixar o imóvel personalizado sem que você precise comprá-lo na planta. Conhecer a estrutura da casa e suas características é algo que ajuda muito na hora de descobrir onde será preciso mexer para que o ambiente fique perfeito.

A contratação de uma pessoa especializada também ajuda muito para que os custos sejam bem analisados, e problemas no decorrer da obra sejam evitados.  Lembre-se que o valor investido na reforma deve ser menor do que 50% do valor do imóvel.

Outro ponto importante é que a reforma ajuda na valorização do bem. Se você pretende reformar para vender, nesse caso o valor aplicado deve ser menor do que 20% do valor do imóvel.

Atenção, não caia na conversa de que se você tem um imóvel antigo é melhor vender do que reformar. Apesar de reformas nesses casos serem bem mais caras do que em um apartamento ou casa nova, um imóvel bem localizado, e grande, pode ser muito valorizado após uma reforma.

Afinal, qual vale mais a pena?

Se o seu incômodo são os revestimentos antigos, decoração fora de moda ou a chance para ter uma cozinha e sala em conceito aberto basta analisar a possibilidade de alterar o seu imóvel.

Agora se o seu problema é a família que cresceu, o bairro que não está mais tranquilo como antigamente ou quer dar a eles mais conforto, você precisa comprar outro imóvel.

Estar a par da situação financeira familiar também é uma forma de reconhecer o que vale mais a pena. Talvez o momento econômico não seja o melhor para comprar um imóvel, mas uma reforma que cabe no orçamento pode resolver os problemas.

Outro ponto importante é o tamanho da reforma a ser feita. Às vezes, uma alteração pequena já resolve as reclamações, enquanto em outros casos nem uma obra grande seria capaz de solucionar os aspectos negativos.

Muitas vezes deixamos o apego emocional falar mais alto, mas cuidado para não cair em armadilhas e os gastos virarem uma bola de neve, pois nem sempre conseguimos fazer tudo o que desejamos no espaço idealizado.

Por outro lado, a aquisição de um imóvel demanda recursos e um planejamento maior. Além de investir um alto valor na parte estrutural você ainda teria os gastos com a decoração dos ambientes.

Comprar ou reformar um imóvel são duas maneiras viáveis de solucionar problemas desde que estejam dentro do orçamento.

Clique aqui e faça uma simulação para obter seu crédito com a Bari.

Continua em dúvida? Então acesse: https://www1.folha.uol.com.br/sobretudo/morar/2017/04/1875666-construir-ou-reformar-saiba-quando-erguer-uma-casa-do-zero-vale-a-pena.shtml

Maus hábitos que afetam o seu bolso

Como é possível poupar e organizar os gastos de forma saudável para não afetar o seu bolso?

Em tempos nos quais cada centavo faz a diferença, muitos diminuíram gastos com lazer, passaram a fazer compras em atacado a até abriram mão da viagem de férias. Mas, se você está na missão de economizar dinheiro, alguns comportamentos também precisam mudar. Principalmente aqueles maus hábitos que afetam o bolso.

Todo mundo conhece e pelo menos tenta controlar esses hábitos e que influenciam diretamente nas contas, como economizar luz e água, por exemplo.

E aqueles outros comportamentos do cotidiano, que muitas vezes nem pensamos em quanto pesam no bolso?

Pesquise planos de telefone e internet

Ter um plano de telefonia móvel e Internet no smartphone é uma facilidade necessária, mas pode acabar saindo caro. Hoje muitas operadoras estão oferecendo pacote de telefone, internet e TV a cabo, o que acaba ficando ainda mais em conta e ajuda a reduzir os gastos mensais.

Evite gastos desnecessários

Comprar apenas porque está se sentindo triste é, um péssimo hábito econômico.

Mesmo os itens baratos, quando somados no final do mês acabam pesando. E a dica é encontrar atividades que te deem prazer, como sair com amigos, correr no parque ou fazer um piquenique com a família e que não arruíne seu planejamento financeiro.

Aproveite os programas de benefícios

Muitas empresas oferecem premiações aos seus clientes mais fieis através de programas de fidelidade, que podem variar desde descontos até produtos grátis.

Um ótimo exemplo são os programas de milhagem das companhias aéreas.

Planeje suas viagens antecipadamente

As férias não planejadas podem afetar fortemente seu bolso, já que os preços de passagens e os quartos de hotéis em plena temporada ou nos feriados são indiscutivelmente mais caros.

Faça um plano de quanto irá economizar e quando quer viajar. Pesquise tarifas e pacotes em diferentes dias da semana e horários, pois isso pode apresentar uma boa variação de preço.

Não deixe para última hora!

Comer “bobagem” na rua

No dia a dia do trabalho, muitas vezes não dá para evitar comer fora, principalmente no horário do almoço.

Nas outras refeições, como café da manhã e lanche da tarde, entretanto, você consegue economizar levando uma comida de casa e fazendo algo mais saudável para colaborar com a sua saúde.

Peça descontos

Negociar e pedir descontos são práticas antigas e que em muitos lugares são sinônimo de sabedoria.

Ao negociar um produto você pode pedir um desconto ou até mesmo um brinde, mas você precisa saber como encantar o vendedor. Às vezes, é suficiente perguntar por ofertas para pagar menos pelo artigo de que gostou.

Tente pagar sempre a vista

Parcelar as compras pode ser um jeito rápido e fácil para conseguirmos algo que tanto queremos, principalmente se for de valor alto como um carro.Se você tiver a opção de pagar a vista e tiver um desconto razoável para essa opção, deve-se optar por ela.

Na maioria das vezes as compras parceladas “sem juros” possuem as taxas embutidas no valor total por isso as lojas conseguem dar um desconto no pagamento à vista.

Algumas mudanças de hábito podem nos trazer economias, assim como planejar o futuro. Aproveite as oportunidades.

Se você está com alguma pendencia financeira, siga a Bari Promotora nas redes sociais e acompanhe nossas dicas.

Como posso utilizar meu crédito com garantia de imóvel?

A resposta é simples, você pode utilizar o crédito de acordo com as suas necessidades!

As opções de crédito com garantia de imóvel possuem os juros mais baixos do mercado e prazos mais estendidos, podendo chegar até a 15 anos. Vale lembrar que para obter essa modalidade de crédito basta ter um imóvel para apresentar como garantia. Além de estar localizado em uma cidade com mais de 50 mil habitantes nos estados:

  • Rio Grande do Sul;
  • Santa Catarina;
  • Paraná;
  • São Paulo;
  • Minas Gerais;
  • Distrito Federal.

Nos demais estados em cidades com mais de 300 mil habitantes e o proponente estar dentro dos critérios de crédito necessários.

A Novi tem uma análise de crédito flexível e aceita como garantia imóveis de diferentes tipos como: imóvel residencial, uso misto, imóvel averbado, parcialmente averbado ou não averbado e também terrenos.

Com o recurso obtido, você pode realizar sonhos, sair do vermelho, investir em novos negócios ou no que você desejar.

Aqui apresentamos alguns exemplos de uso do Crédito com Garantia de Imóvel:

  • Refinanciamento de dívidas: pagamento de dívidas existentes. Neste caso a Bari Promotora faz o pagamento da dívida com a instituição financeira e o contratante tem um novo tempo de pagamento de até 15 anos com juros mais baixos;
  • Pagar dívidas: como quitação de juros, multas, taxas e outras obrigações originadas de atrasos em cartão de crédito, cheque especial, tributos e impostos (IPTU, IPVA), seguros, etc;
  • Realização de reformas: a utilização do crédito pode ser para comprar materiais ou pagar a mão de obra, por exemplo;
  • Construir: neste caso o terreno pode ser entregue como garantia e após a averbação do imóvel é possível aumentar o prazo de pagamento e/ou diminuir as parcelas;
  • Pagamento de cursos: de idiomas, tecnológicos, faculdade, intercâmbio, etc;
  • Realização de uma viagem internacional ou uma expedição e o custeio das atividades realizadas nela;
  • Investimento em aplicações financeiras;
  • Abertura de um negócio ou compra de uma franquia que conta com a carência de de 6 meses);
  • Realização de eventos: comemorações e festas (casamento, debutante, aniversário etc.);
  • Capital de giro para o negócio.

Essa é uma modalidade de crédito mais vantajosa entre boa parte das mais tradicionais e comuns do mercado, mas requer planejamento e organização orçamentária para ser adquirida.

Na Bari Promotora, o crédito fornecido é de até 50% do valor do imóvel com valores entre R$ 50 mil e R$ 4 milhões, com taxas a partir de 1,14%, até 15 anos para quitar e o pagamento das parcelas pode começar em até 6 meses.

Para mais informações, acesse:
http://baripromotora.com.br/credito-com-garantia-imobiliaria/

Como refinanciar a fatura do cartão de crédito

Você sabia que quatro em cada dez brasileiros utilizam o cartão de crédito para algum tipo de compra?

Essa semana foi publicada uma pesquisa, pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), mostrando os hábitos de consumo do cartão de crédito em fevereiro deste ano pelos brasileiros.

Segundo o presidente do SPC, Roque Junior Pellizzaro, em reportagem publicada no dia 24 de abril no site da CNDL, o aumento da utilização do dinheiro de plástico “será uma forma de fazer com que o cartão assuma o caráter mais de linha de crédito do que de meio de pagamento. Nesse contexto, manter o pagamento da fatura em dia é ainda mais importante, já que em caso de atraso, além dos juros do próprio crediário, o consumidor ainda terá de arcar com os juros do rotativo.”

Não só pela facilidade no parcelamento das compras, mas também pela disponibilidade imediata do dinheiro, é preciso ter cuidado para evitar o endividamento excessivo que pode levar ao não pagamento da fatura, aumentando, e muito, o valor da dívida inicial em razão dos juros cobrados pelo atraso.

Muitas vezes isso pode virar uma bola de neve, mas com soluções e uma delas é o crédito com garantia de imóvel, isso significa:

  1. Prazo mais longo: até 15 anos para pagar;
  2. Taxa mais baixa: comparada as outras linhas de crédito;
  3. Recurso para uso livre: além de pagar as dívidas, você pode investir em outros projetos que tenha interesse.

O valor do empréstimo parte de R$50.000,00, com taxas à partir de 1,14% + IPC. Você pode realizar uma simulação para analisar a diferença no valor das parcelas que paga hoje e as que passaria a pagar. Uma excelente opção para voltar a ter o controle das suas finanças.

Vale lembrar que antes de qualquer decisão na tomada de crédito, seja do rotativo do cartão ou do crédito imobiliário, é preciso ter uma real noção do seu orçamento e de qual seria o valor que de fato cabe no seu bolso. Você não vai só estar trocando dívidas com juros altos por juros mais baixos, estará com parcelas que cabem no seu bolso e não comprometerá os demais aspectos da sua vida.

Para ler matéria completa sobre a utilização do cartão de crédito clique aqui.

Acesse: www.baripromotora.com.br e tenha mais informações sobre as opções de empréstimo da Bari Promotora.

Crédito com Garantia de Imóvel sem Mistério

Com juros abusivos, qualquer dívida vira uma bola de neve que se torna impossível de pagar. Por isso, a Bari surgiu como uma solução para facilitar a vida de muitas pessoas.

Pagar juros de 1,14% ou juros de mais de 10% ao mês? Existem perguntas que até o mais desinformado sobre tipos de empréstimo que o mercado oferece sabe responder.

O objetivo da Bari é proporcionar aos clientes condições de pagar suas dívidas e realizar seus projetos.

Juros que não são opção

As taxas dos juros do cartão de crédito e do cheque especial giram em média a 12,36% ao mês. E muitas pessoas aceitam pagar essas taxas por não conhecerem outras soluções. E é aí que os produtos da Bari podem fazer a diferença no orçamento.

O Crédito com Garantia de Imóvel, por exemplo, oferece até 50% do valor do imóvel do solicitante para investir com segurança da forma que quiser: empreender, pagar dívidas, reformar ou investir. O crédito é liberado a partir de 6 dias úteis após a entrega e validação de todos os documentos e tem carência de até 6 meses para começar a pagar.

A avaliação de crédito é realizada por especialistas que analisam os detalhes de cada caso para ajudar na aprovação. Aceita imóveis quitados ou não; imóveis residenciais e comerciais não averbados; imóveis residenciais, comerciais e mistos, além de terrenos.

O processo de análise passa por 6 etapas:

  1. entrevista,
  2. pré-análise sobre o perfil do cliente,
  3. análise de crédito (comprovação de renda),
  4. análise jurídica e avaliação do imóvel,
  5. assinatura de contrato,
  6. liberação do recurso.

Conforme a agilidade na entrega de documentos e do registro de imóveis, o dinheiro pode ser depositado a partir de 6 dias úteis na conta do solicitante. 

Caso queira fazer uma simulação, clique aqui: www.baripromotora.com.br/simulador-imovel/

Como ser um Parceiro Bari?

São três passos simples para disponibilizar o portfólio da Bari aos seus clientes:

  1. Cadastro: você preenche o formulário no site com todos os dados necessários;
  2. Ligação: a Bari faz o primeiro contato telefônico com você;
  3. Contrato: após todas as verificações, a assinatura do contrato é a última etapa para você tornar-se um Parceiro Bari.

Transforme a vida dos seus clientes, sócios ou amigos com as soluções financeiras da Bari!

Para mais informações, acesse: www.baripromotora.com.br

Você sabe qual o seu índice de inflação?

Será que o seu índice de inflação pessoal está acima ou abaixo da média?

A inflação tem sido um dos assuntos preferidos dos brasileiros, seja para comentar as notícias dos jornais, seja para culpar a falta de dinheiro na conta bancária no fim do mês.

O que muitos não consideram, entretanto, é que os números divulgados mensalmente não incidem da mesma forma no orçamento de todas as pessoas.

O que é inflação?

Antes de mais nada, vale revisar o que significa de fato este termo sobre o qual tanto falamos. Inflação é um índice que mede a variação dos preços de determinados produtos e serviços em um período específico.

O que muita gente não sabe, entretanto, é que existem vários tipos de inflação acompanhados pelo mercado. Conheça alguns deles:

Antes de mais nada, vale revisar o que significa de fato este termo sobre o qual tanto falamos. Inflação é um índice que mede a variação dos preços de determinados produtos e serviços em um período específico. O que muita gente não sabe, entretanto, é que existem vários tipos de inflação acompanhados pelo mercado. Conheça alguns deles:

  • INPC: Índice Nacional de Preços ao Consumidor
  • IPCA: Índice de Preços ao Consumidor Amplo
  • IPC-S: Índice de Preços ao Consumidor Semanal
  • IGP-M: Índice Geral dos Preços do Mercado (também conhecido como “inflação do aluguel”)

Todos os índices são um indicador de inflação, o que muda são questões como itens analisados, períodos, amostra geográfica, etc.

No Brasil, o índice oficial para falar sobre inflação (e o que mais vemos nos noticiários) é o IPCA, medido mensalmente pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. O IBGE levanta todos os meses os preços de mais de 400 itens, nas principais regiões metropolitanas do País.

Entendendo o IPCA

O IPCA verifica a variação de preços de nove grupos de produtos e serviços do cotidiano dos brasileiros, dividindo-os em: alimentação e bebidas; artigos de residência; comunicação; despesas pessoais; educação; habitação; saúde e cuidados pessoais; transportes e vestuário.

Quando acompanhamos as notícias sobre inflação, a cada mês descobrimos um novo vilão para seu aumento. Até agora, em 2016, os principais foram  feijão, leite, café, combustíveis e passagens aéreas. No acumulado de 12 meses, em julho de 2016 o IPCA atingiu 7,34%, recuando em relação aos períodos anteriores, quando chegou ao pico de 10,7% (janeiro). Neste momento, a previsão dos analistas de mercado é que 2016 termine com 7,21% de inflação, conforme dados divulgados pelo Boletim Focus.

Controle de seu índice de inflação na ponta do lápis!

Olhando para os números, as perspectivas parecem boas em relação ao que temos acompanhado nos últimos meses, mas não necessariamente significa que os custos do que você consome seguirão exatamente essas médias. Para saber exatamente o impacto da inflação em seu orçamento, será necessário criar o seu próprio índice. Veja como com as nossas dicas:

Registre seus gastos

Para começar, você terá que manter um comportamento básico para quem quer organizar vida financeira: registrar seus gastos. Aqui devem ser considerados todos os custos que tem em seu dia a dia. Use a nossa planilha ou utilize alguma disponível na internet para fazer as anotações.

Detalhe os preços

Depois de alguns meses acompanhando suas finanças, você será capaz de perceber quais são os itens de consumo mais frequente, excluindo gastos pontuais. Para esses produtos e serviços, comece a anotar o preço médio que pagou em cada mês.

Crie categorias

Assim como IBGE faz com o IPCA, você deverá dividir seus gastos em categorias principais, de acordo com o seu estilo de vida. Por exemplo, se não está investindo nada em educação, não faz sentido essa categoria estar em sua lista.

Mantenha a disciplina

Por fim, para chegar a análises reais sobre o impacto da inflação em seu orçamento, você precisará de disciplina para registrar as informações e analisá-las. Pode parecer trabalhoso, mas sabendo utilizar bem ferramentas como o Excel – ou conhecendo alguém que possa ajudá-lo, o tempo investido se tornará menor a cada mês, enquanto você terá melhor entendimento sobre como suas finanças estão se comportando.

Impacto da inflação em sua organização financeira

Neste artigo, ensinamos como você pode calcular seu índice de inflação pessoal e, assim, saber o real impacto da alta dos preços em seu orçamento. Quem deseja organizar a vida financeira, evitando dívidas e fazendo investimentos mais rentáveis, precisa dedicar seu tempo a este tipo de análise.

Sabendo a inflação real que incide sobre as suas finanças, você pode identificar onde reduzir ou realocar custos, escolher a aplicação ideal para investir e entender melhor como devem evoluir seus ganhos ao longo do tempo. Busque educação financeira e comece uma relação mais saudável com seu dinheiro!

Quer aprender como administrar seu dinheiro para ele render mais? Conheça as formações em educação financeira oferecidas pela Bari Promotora!