Tenho dinheiro: investir ou quitar dívidas?

Em tempos de economia instável, ter dinheiro no bolso sempre causa ansiedade sobre o que fazer com ele.

Recebimento de 13° salário, bônus ou comissões costumam levar a uma dúvida bastante comum: o que fazer primeiro, quitar as dívidas ou começar a investir para ter um futuro mais tranquilo?

Não é por acaso que esse questionamento surge, afinal, somos orientados a viver sem dívidas e, ao mesmo tempo, ter um bom valor investido para emergências ou para a aposentadoria. Qual desses comportamentos deve ser priorizado para uma boa organização financeira, então?

Investir ou pagar dívidas?

Não existe grande mistério para responder a esta questão, já que a maioria dos empréstimos possuem taxas de juros superiores ao rendimento dos investimentos mais tradicionais (como poupança, renda fixa ou tesouro direto).

Sendo assim, antes de começar a guardar dinheiro para emergências ou para a aposentadoria, garanta que suas pendências atuais sejam resolvidas.

As únicas exceções em que torna-se mais vantajoso começar a investir antes de pagar dívidas são para as opções de crédito que possuem juros bastante baixos – normalmente subsidiados por alguma política pública, como crédito imobiliário para moradia popular.

Quais dívidas pagar primeiro?

Muitas pessoas se enganam na gestão das suas dívidas, optando por pagar primeiro aquelas de montante mais alto. O problema é que essas não são necessariamente as dívidas mais caras para o devedor.

Ao escolher as prioridades de pagamento, deve-se colocar em primeiro lugar aquelas dívidas que possuem maior taxa de juros. E normalmente são os valores devidos em cheque especial, cartão de crédito ou empréstimo pessoal.

Mas porque esses valores devem ser os primeiros a serem pagos, mesmo se forem menores do que os outros? Simples, o potencial de aumento a cada mês é muito maior, possibilitando que a dívida se torne mais difícil de ser paga ao longo do tempo.

Troque dívidas caras por baratas

É vantajoso buscar outra opção de crédito para quitar as dívidas atuais? Muitas vezes sim! Se o dinheiro que possui agora não é suficiente para quitar o que está devendo, procure opções de crédito com taxas de juros mais baixas, como o crédito com garantia de imóvel.

Desta forma, você utiliza o valor obtido com o novo crédito para pagar aquelas dívidas com maior potencial de aumento, garantindo que elimine suas pendências financeiras em menor tempo. Além de melhorar a sua saúde financeira e poder planejar o futuro.

Vale a pena adiantar parcelas?

Quando se tem dinheiro no bolso, pode sim valer a pena adiantar as parcelas de dívidas já acumuladas. Mas atenção: pague antecipadamente somente aquelas que tiverem juros acima do rendimento da aplicação em que você investiria seu dinheiro.

Caso os juros sejam menores, o melhor é ir pagando as parcelas nas datas acordadas e deixar seu dinheiro rendendo na forma de investimento escolhida. 

Você levará mais tempo para quitar as dívidas, mas, em compensação, utilizará seu dinheiro de forma mais estratégica, fazendo ele render mais.

Assim que pagar as dívidas… Invista!

Ao contrário do que muitos pensam, não é errado assumir dívidas, desde que as opções de crédito sejam muito bem avaliadas e que a finalidade seja um investimento, como a compra de um imóvel, uma formação profissional ou a abertura de um negócio. E isso, antes mesmo de quitar as dívidas que possui atualmente!

Mas não deixe de começar a organizar suas finanças pessoais, planejar seus investimentos e controlar os seus gastos. Para ter uma vida tranquila, estar preparado para emergências e garantir um bom futuro para você e sua família, é fundamental que invista em educação financeira e mude seu comportamento em relação ao dinheiro.

Irá valer a pena!

Quer entender melhor como gerenciar seu dinheiro e ter uma vida sem dívidas? Siga as redes Bari Promotora e curta nossas dicas de como realizar seus sonhos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *