Por que priorizar as dívidas mais caras?

Quem está endividado não pode cair em desespero com o momento econômico. Existem formas de evitar que as dívidas se acumulem e que os juros as tornem ainda maiores.

E para isso, a principal estratégia deve ser priorizar as dívidas mais caras. Entenda melhor e coloque suas finanças pessoais em dia!

Mas como saber quais são as dívidas mais caras?

Ao contrário do que a maioria das pessoas pensam, as dívidas mais caras não são aquelas de maior valor, mas sim as que possuem as taxas de juros mais elevadas. Isso porque, apesar de poderem começar menores, elas têm grande potencial de multiplicação e, consequentemente, de comprometimento de sua renda.

As dívidas mais caras costumam ser as de pagamento rotativo do cartão de crédito, cheque especial e empréstimos pessoais. Apenas para comparar, enquanto os juros acumulados em 12 meses para o cartão de crédito estão chegando a quase 500% ao ano, os do crédito pessoal estão em torno de 53%. Já o crédito com garantia imobiliária, uma das modalidades mais atrativas do mercado, tem juros anuais em 18,86% ao ano.

Dicas para gerenciar suas dívidas

Se você está endividado, sua atividade principal deve ser olhar com visão estratégica para seus compromissos financeiros, para garantir que irá conseguir quitar as dívidas. Veja algumas dicas para isso:

Pague primeiro as dívidas mais caras

Falamos em como as dívidas consideradas mais caras podem comprometer seu orçamento mensal rapidamente. Por este motivo, elas devem ser seu foco principal para pagamento.

Foque nos serviços básicos

Além das dívidas caras, não deixe de pagar em primeiro lugar também aquelas que representam a prestação de serviços básicos para você e sua família. Alguns exemplos são: água, luz e gás.

Troque as dívidas caras por outras mais baratas

Se o seu salário não é suficiente para eliminar as dívidas mais caras, sem esquecer das de serviços básicos, uma solução pode ser trocá-las por modalidades de crédito mais baratas. Ou seja, empréstimos com menores taxas de juros para poder pagar o que está devendo.

Algumas das melhores alternativas disponíveis para isso são o refinanciamento do automóvel e o crédito com garantia imobiliária.

Renegocie

Muitos credores estão dispostos a renegociar as dívidas, pois eles também precisam deste capital para investimento. Procure-os e tente reduzir o valor total do que deve, assim suas finanças podem se normalizar mais rapidamente. O Serasa, por exemplo, possui um serviço chamado Limpa Nome para ajudar na renegociação com algumas empresas parceiras.

Como mudar seu comportamento para uma vida sem dívidas?

Depois que conseguir encaminhar o pagamento de suas dívidas, é essencial que mude seu comportamento com o dinheiro para ter maior tranquilidade e fazer seu salário render mais. Por isso, separamos algumas dicas de finanças pessoais:

Conheça suas finanças

Para uma boa gestão financeira, é preciso que você saiba muito bem quanto ganha e quanto gasta todos os meses. Identifique quais são os setores de sua vida que dão mais despesas, e procure reduzir os gastos supérfluos.

Lembre-se que toda economia é bem vinda!

Não gaste mais do que ganha

Se não está sobrando dinheiro no fim do mês, este é um sinal de que você está gastando mais do que recebe. E viver um estilo de vida acima do que ganha fará com que você sofra as consequências no futuro. Isso pode refletir em uma aposentadoria com dívidas ou sem independência financeira.

Além de pagar todas as contas, seu salário deve ser suficiente para acumular todos os meses alguma reserva para emergências e para quando deixar de trabalhar. Se você conseguir guardar 10% do seu salário todo mês, você conseguirá ter uma boa quantia de reserva para emergências.

Invista

Guardar dinheiro na caderneta de poupança em tempos de inflação em alta está quase equivalente a colocá-lo debaixo do colchão. Para ter rendimentos reais com seus investimentos, conheça opções de aplicação que estejam competitivas e que sejam ideais para o seu perfil como investidor. Para os mais conservadores, Tesouro Direto e Renda Fixa continuam atrativos.

Eduque-se financeiramente

Por fim, para superar as dívidas e começar a viver com tranquilidade financeira, será necessário conhecer pelo menos o básico sobre a gestão de seu dinheiro. Busque opções de educação financeira, saiba como estabelecer metas e como investir. Levará menos tempo do que imagina para deixar de ser um devedor para tornar-se um acumulador!

Quer entender melhor como educação financeira pode ajudar você a ter uma melhor relação com seu dinheiro? Conheça os produtos da Bari Promotora e não deixe de nos seguir nas redes sociais!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *