Divirta-se com seus filhos sem afetar o bolso!

Seus filhos gostam de brincar, passear, se divertir e isso não precisa influenciar o orçamento.

Com o passar dos anos, as atividades mudam e os interesses acompanham a faixa etária dos pequenos, e tem algo que é unânime entre eles: não importa se seu filho tem 3 ou 10 anos todos adoram brinquedos, jogos, passeios e atividades diferentes.

Brincar é essencial para o desenvolvimento físico, mental e emocional das crianças.

Mas, será que precisamos gastar tanto dinheiro dando brinquedos novos, caros e modernos aos nossos filhos constantemente, sem nos preocupar com nosso limite de orçamento?

A resposta é não.

Não é interessante deixar de lado a educação financeira familiar só para agradar as crianças. Segundo pesquisa realizada pelo SPC Brasil, é isso que a maioria das mães faz: 60 por cento das entrevistadas compram produtos sem necessidade para seus filhos e essa não é uma boa alternativa. E um dos motivos,  ainda segundo o estudo, 37 por cento das crianças são volúveis quando desejam algo e mudam de ideia rapidamente.

Os pais, muitas vezes, não sabem o que fazer: a pesquisa também mostrou que 37 por cento das mães já ficaram endividadas para agradar os filhos. Por isso, é preciso se controlar, evitar dívidas e estimular seus filhos da maneira correta, sempre respeitando o limite do bolso.

11 dicas baratas e muito divertidas:

INVISTA NA CRIATIVIDADE

1 – Faça um passeio. A ideia é simples, barata e muito eficiente. Experimente visitar amigos, passar a tarde em uma praça ou parque.

2 – Organize um festival de fantasias entre a criançada: utilize roupas, bolsas, sapatos de adulto, fantasias que eles ou as crianças usam em festas, coisas de sucatas.

3 – Faça uma oficina de brinquedos em casa: sucata, potes de plástico, pedaços de tecidos e lãs, pedaços de papel e cartolina, e também coisas da natureza podem estimular a criatividade da criançada.

4 – Planeje um lanche ou jantar e cozinhe junto com os pequenos. A ideia pode se tornar uma brincadeira bem divertida. Escolher o cardápio, selecionar ingredientes, pesquisar preços e arrumar a mesa juntos pode ser muito útil para o aprendizado.

5 – Lembre-se das brincadeiras que você gostava. As cantigas, brincadeiras de roda e pega-pega fazem sucesso até hoje, pode acreditar.

6 – Antes de comprar um novo brinquedo que pode te desestabilizar financeiramente. Lembre-se! Uma criança é capaz de divertir-se mais com uma cabana feita na sala com lençol do que com um brinquedo de última geração.

ESTIMULE A SOLIDARIEDADE DAS CRIANÇAS

7 – Retire de circulação os brinquedos que não interessam mais. “Inclusive, após os 2 anos de idade, a criança pode participar da triagem dos brinquedos, separando, com orientação dos pais, aqueles que não interessam mais”, explica a psicóloga Ana Paula Magosso. Assim, você pode estimular seu filho a se desapegar daquilo que ele não usa e não quer mais.

8 – Estimule a troca de brinquedos entre amigos. “A troca de brinquedos é uma alternativa interessante na medida em que a criança é capaz de perceber que algo que não lhe serve mais pode fazer alguém feliz”, explica Ana Paula. Dessa maneira, é possível ensinar que é melhor ter algo novo sem acumular brinquedos e gastar dinheiro.

9 – Explique para a criança que comparar o que é seu com o que é do outro não é saudável. Estimule seu filho a construir uma nova visão sobre o valor das coisas e a praticar o desapego.

SAIBA QUANDO PRESENTEAR OS FILHOS

10 – Resista. Crianças pedem e desejam brinquedos, roupas e coisas novas o tempo todo. Aprenda a dizer não e explique o porquê da negativa quando seu filho te pedir algo. Faça com que seu filho aprenda a esperar.

11 – Segundo a pesquisa, 46 por cento das mães não têm regras com relação a compra de presentes e isso é uma falha grave. Então, lembre-se que presentes devem ser dados em datas comemorativas. A criança precisa aprender a valorizar o objeto que recebe e valorizar aquele momento.

Por fim, nunca se esqueça: quanto maior a liberdade de escolhas da criança, maior será seu desenvolvimento.

Gostou do nosso conteúdo? Compartilha com a gente o que você faz para controlar o orçamento. E não se esqueça de nos acompanhar nas redes sociais!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *